Os sete pecados cometidos por porteiros


Os sete pecados cometidos por porteiros

Vigilante, responsável e discreto. Essas são três das principais características que se busca em um porteiro. Ele é um profissional de suma importância para o condomínio e dentre suas funções estão: controlar o acesso ao interior do prédio e receber correspondências. Alguns maus hábitos podem colocar em xeque o serviço prestado por esse funcionário e, como consequência, trazer prejuízos ao condomínio. Elencamos nesse texto sete pecados cometidos por porteiros que devem ser abolidos.

1º – Abandonar o posto de trabalho: Falta gravíssima. O porteiro jamais deve se ausentar da guarita durante seu turno. Nesse ponto, cabe fazer um contraponto: há ocasiões em que os próprios condôminos solicitam a ajuda do porteiro para alguma tarefa fazendo com que ele se afaste do posto de trabalho. Isso deve ser terminantemente proibido e os moradores devem ser conscientizados acerca dessa conduta errada.

2º – Desatenção: Nesse pecado estão incluídos os hábitos de dormir durante expediente, assistir a televisão, ficar usando celular (para conversar ou navegar na internet), manter conversas prolongadas com condôminos ou outros funcionários. O porteiro deve estar sempre alerta e observando o que se passa ao seu redor, seja no lado externo do prédio ou em seu interior através do sistema de câmeras.

3º – Liberar acesso de carros/pedestres indevidos: A cena é comum em alguns condomínios: um carro vai se aproximando da garagem e o portão já se abre sem que o motorista se identifique. Essa falha abre uma grande lacuna na segurança do prédio e pode colocar criminosos para dentro dele. O porteiro só deve liberar a entrada de veículos cadastrados ou quando o condômino autorizar expressamente a entrada de um visitante, especificando o nome dele e as características do carro. O mesmo se aplica aos pedestres: eles devem dizer o nome, aguardar que o porteiro interfone para o morador, e só depois da autorização a entrada é permitida.

4º – Deixar garagem aberta: Um condômino saiu e se esqueceu de fechar o portão. O próprio porteiro abriu a entrada da garagem para algum veículo sair e se esqueceu de fechar. Está havendo retirada de lixo pela garagem. Essas são algumas situações em que se abre uma porta escancarada ao perigo externo. Para não deixar o prédio vulnerável, o porteiro deve ser extremamente cuidados com o portão da garagem.

5º – Permitir a entrada de entregadores: Esse também é um pecado cometido juntamente a alguns condôminos que solicitam a subida do entregador, o que deve ser evitado. A encomenda deve ser entregue na portaria, onde deve permanecer até que alguém vá buscá-la.

6º – Falta de treinamento: Essa falha pode ser mais atribuída ao síndico que não investe num bom profissional. O porteiro deve ser orientado sobre o uso dos equipamentos que fazem parte das atribuições dele, sobre as regras do condomínio e também sobre como agir em emergências.

7º – Fazer fofoca: Esse pecado não prejudica a segurança do prédio, mas é algo extremamente deselegante e reprovável. O porteiro deve zelar sempre pela discrição.

Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square

© 2012 por Evolusat Security.